microbacia hidrográfica do córrego do gregório

A microbacia do Córrego do gregório drena uma área de 19 km2. Considerando o seu curso desde a nascente até a foz, possui como afluentes os córregos: Primeira Água, Sorregotti, Lazarini, Simeão e Biquinha, estão esses dois últimos totalmente tamponados.

O Córrego do Gregório nasce na área ru­ral e percorre a área urbana no sentido leste­-oeste, por uma extensão de aproximada­mente 9 km, até a sua foz no Rio do Monjolinho, rotatória do Cristo.

nascente do córrego do gregório sítio santo antônio

foz do córrego do gregório no rio do monjolinho – rotatória do cristo

primeiras moradias

Foi nesta bacia que se construíram as pri­meiras ruas e casas, situação não diferente de muitas outras cidades, cuja urbanização iniciou em locais próximos aos cursos d´a­gua. Conforme a população foi aumentando, a cidade foi crescendo a partir desse peque­no núcleo urbano e melhorando sua infraes­trutura.

Fonte: Acervo Fundação Pró-Memória

córrego da biquinha

Em 1890, a cidade era abastecida pelo Cór­rego da Biquinha, que nasce na região do Teatro Municipal (Rua Padre Teixeira) e de­semboca no Córrego do Gregório, na altura da Rua Visconde de Inhaúma. Suas águas eram distribuídas em quatro chafarizes, bebedou­ros públicos situados em pontos de grande cir­culação de pessoas. Foi apenas em 1899 que a água encanada chegou às torneiras de algumas casas.

expansão urbana

A ocupação da microbacia do Córrego do Gregório foi bastante intensa até a década de 1940. Nesta região desenvolviam-se pratica­mente todas as atividades econômicas, so­ciais e culturais e, por isso, é até hoje o centro da cidade.

cinema

Fonte: Acervo Fundação Pró-Memória

Sociedade Dante Alighieri e cdcc

Fonte (fotos antigas): Acervo Fundação Pró-Memória

clube flor de maio

praças

IMPACTOS AMBIENTAIS

A urbanização de São Carlos, que já era representativa em 1940, intensificou-se entre 1950 e 1970, causando graves problemas am­bientais, a começar pela questão do escoa­mento das águas. Ao longo do processo de urbanização, mui­tas mudanças aconteceram na paisagem original do Córrego do Gregório. Durante o período de 1970 a 1974, o leito do córrego perdeu o seu traçado original, tendo sido re­tificado e canalizado em alguns trechos para dar lugar à construção de ruas, avenidas mar­ginais e bairros residenciais e comerciais.

OBRAS REALIZAS NO CÓRREGO DO GREGÓRIO

enchentes

Entre todos os problemas, aquele provocado pelas enchentes e o consequente alagamento de extensas áreas da cidade, in­clusive do centro, é ainda hoje o mais traumá­tico, tendo deixado a sua marca na memória coletiva dos são-carlenses.

afluentes do córrego do gregório da área central

Os afluentes da área central desapareceram e quase ninguém lembra ou tem conhecimento de que, por baixo da Rua Episcopal e das Ruas José Bonifácio e Aquidaban, ainda correm os córregos do Simeão e Biquinha.

O CÓRREGO DO BIQUINHA, emerge apenas o fio d’água que escor­re da fonte na creche Anita Costa, localizada na esquina das ruas Aquidaban e Conde do Pinhal.

Imagem:  Fonte na creche Anita Costa

O CÓRREGO DO SEMEÃO nasce na região da Praça Itália, passa por baixo do bairro Lagoa Serena e desemboca no Córrego do Gregório na região do Mercado. Um dos poucos locais que não está canalizado se situa nos fundos de um restaurante instalado na Rua Episco­pal, esquina com a Rua Santa Cruz.

instituições de ensino

  • (34) EE Dr. Álvaro Guião;
  • (37) CEFA Prof. Cid da Silva César;
  • (38) CEMEI Cônego Manoel Tobias;
  • (39) EE Cel. Paulino Carlos;
  • (40) EE Prof. Sebastião de Oliveira Rocha;
  • (41) Escola Livre de Música Maestro João Sepe;
  • (42) Creche Anita Costa;
  • (44) Centro Interescolar Paulino Botelho;
  • (46) EE José Juliano Neto;
  • (47) CEMEI Dom Rui Serra;
  • (51) UAB – Prédio Octávio Carlos Damlano;
  • (52) Oficina Cultural Sérgio Buarque de Holanda;
  • (53) EE Eugênio Franco;
  • (54) SENAC;
  • (55) EE Prof. Arlindo Bittencourt;
  • (56) CEMEI Dep. Lauro Montei­ro da Cruz;
  • (57) CDCC/USP;
  • (58) SENAI-Escola Antônio Adolfo Lobbe;
  • (59) EE Bispo Dom Gastão;
  • (60) Creche Aracy Leite Pereira Lopes;
  • (61) CEMEI Carmelita Rocha Ramalho;
  • (76) EE Jesuíno de Arruda;
  • (77) Centro Educa­cional SESI 108;
  • (78) CEMEI Octávio de Moura;
  • (79) CEMEI João Muniz;
  • (80) EE Péricles Soares;
  • (95) Centro Educacional SESI 407;
  • (97) CEMEI João Jorge Marmorato;
  • (98) EE Prof. An­tônio Adolfo Lobbe;
  • (99) EE Prof. João Jorge Marmorato;
  • (100) CEMEI João Batista Paino
  • (101) CEMEI Bruno Panhoca;
  • (103) CEMEI,Cecília Rodrigues;
  • (109) Creche Divina Providência;
  • (110) SESC.

instituições de ensino

FAÇA PARTE DE NOSSA COMUNIDADE

PuBLIQUE SEU TRABALHO

Têm um artigo acadêmico, um post de blog ou um trabalho escolar que deseja publicar em nosso site?

COMPARTILHE MÍDIAS

Têm uma foto, vídeo ou outro tipo de material digital de São Carlos e gostaria de compartilhar para outras pessoas em nossa nuvem?

proponha umA ATIVIDADE / projeto

Têm uma ideia e gostaria de propor para nossa equipe?

Empreste nossa exposição

Cadastre-se e agende um período. Maquetes, modelos e muito mais!

IMPRIMA NossO QR-CODE

Imprima nosso QR-code e leve a experiência do Atlassanca para a sua escola!

FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

Semana da Qualidade do Ar e Florestas Urbanas

Semana da Qualidade do Ar e Florestas Urbanas

A Semana da Qualidade do Ar e Florestas Urbanas do município de São Carlos ocorrerá de 19 a 25 de setembro de 2022. A Prefeitura de São Carlos por meio da Secretária do Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Inovação - SMMACTI, assim como a Secretaria Municipal de...

COMUNIDADES, PARA QUÊ?

COMUNIDADES, PARA QUÊ?

Evento por meio do Google Meet para um bate-papo sobre o potencial coeducativo entre gerações para a sustentabilidade e o papel das Comunidades.